Como resistir a vontade de fazer muitas coisas

Como resistir a vontade de fazer muitas coisas

Quando somos multipotenciais a nossa vontade de fazer muitas coisas, inclusive ao mesmo tempo, é quase incontrolável. Ela surge a qualquer momento, a qualquer hora, em qualquer lugar, e muitas vezes atrapalha a nossa vida (e nossos resultados).

Eu por exemplo passei a vida inteira com vontade de fazer muitas coisas, achando que quase tudo no mundo era interessante e me sentindo plenamente capaz de realizar. A coisa mais fácil do mundo era deixar pra trás o que eu estava fazendo para começar outras coisa nova.

E antes que você pense que eu tinha conhecimento sobre tudo, eu quero dizer que eu quase nunca sabia o que eu estava prestes a fazer. O que acontecia comigo era que a minha vontade e minha paixão era tão intensa que me fazia aprender e realizar o que quer que fosse.

Eu não tinha problemas em acreditar em mim ou em minhas habilidades. Eu também não tinha dúvida nenhuma sobre a minha capacidade de pegar, aprender e de fazer. O meu problema a vida inteira foi decidir o que fazer, visto que eu tinha vontade de fazer muitas coisas, ou dar continuidade ao que eu estava fazendo, diante da minha vontade de fazer muitas coisas.

Eu não queria deixar de ser como eu era. Eu gostava do meu jeito apaixonado de ser. Mas eu precisava alcançar os meus resultados e para isso eu precisava conseguir finalizar os meus projetos. Focar.

E ai? Como é que faz essa mágica? O que fazer para os outros interesses não me tirarem o foco? Como continuar sendo eu mesma?

É justamente isso que eu quero te ensinar a fazer aqui.

O que eu vou te ensinar a fazer nesse artigo é o Diário de Leonardo Da Vinci. Isso mesmo! O diário de alguém que era assim como a gente. Tinha vontade de fazer muitas coisas, foi lá e fez.

Como escolher o seu Diário de Ideias:

Para começar a fazer o seu Diário a primeira e única coisa que você vai precisar é de um caderno. Sim. Apenas um caderno. Mas não um caderno qualquer. Não é um simples caderno.

Entenda que o que você irá colocar nesse diário, muito provavelmente, serão projetos especiais, ideias que tiram você da sua órbita, portanto para guardar todo esse tesouro você vai precisar de algo realmente especial.

Pense no quanto as suas ideias são únicas. Pense no quanto as suas ideias são importantes para você. Quando você for comprar/criar o seu diário pense em tudo isso e faça com que ele seja O DIÁRIO. Esse vai ser o seu Diário de Ideias, um projeto que acompanhará você por muito tempo.

Dica: Normalmente os Diários de Ideias são menos formais do que os diários comuns e não tem pautas.

Como usar o seu Diário de Ideias:

A forma de escrever nesse diário também será diferente dos outros.

Para começar a preenche-lo você deve abri-lo de forma a ver as duas folhas brancas, como se fosse um grande quadro formado por duas páginas (É importante para que o fluxo das ideias seja mantido). Suas anotações devem começar pela página a sua esquerda mas você pode ficar a vontade para puxar setas, invadir a outra pagina, fazer colagens, desenhos… (Mais uma vez para respeitar o fluxo das suas ideias).

Para finalizar você sempre deverá colocar um título, a data e a hora na sua escrita.

Como o seu Diário de Ideias vai impactar na sua vida:

A partir de agora, ou melhor, a partir do momento que você tiver com o seu Diário de Ideias em mãos, todas as vezes que você tiver tendo uma ideia, que alguma ideia pular na sua cabeça (isso a qualquer hora), pegue o seu diário e da forma explicada comece a escrever tudo o que vier na sua cabeça.

Seja beeeemmmmm detalhista.

Como essa ideia surgiu? Como ela é? Pra que ela serve? Do que você precisa? De quem você precisa? Como ela funciona? Você acha essa ideia importante? Porque? A quem a sua ideia ajuda? Etc… A mágica desse seu novo companheiro de aventura está nos detalhes.

Ninguém vai precisar ver o que você escreveu, mas vale a pena se questionar:

– Se alguém achasse esse diário perdido por ai, essa pessoas iria conseguir entender a minha ideia?

Porque seguir as orientações acima:

No momento que temos uma ideia, estamos tão profundamente envolvidos com aquilo que tudo faz sentido. Mas passadas alguns horas, as vezes minutos, as conexões se perdem e aquilo que parecia ser maravilhoso não tem mais porquê. Essas perdas, ou até mesmo o medo dessas perdas, causam em nos multipotenciais certa ansiedade, e para evitar as perdas nos, impulsivamente, temos o impulso de começar a colocar aquela ideia para funcionar naquele exato momento abandonando tudo o que se estava fazendo.

Quando descrevemos os nossos insights, com riquezas de detalhes, no nosso Diário de Ideias, além de guardarmos as nossas ideias (para serem postas em prática depois), temos também a sensação de que nada será perdido. Isso nos ajuda a ficarmos menos ansiosos e a sermos menos impulsivos.

Você aprende a relaxar. Você se sente seguro. Você passa a entender que, a qualquer momento, você poderá voltar ao seu diário, escolher uma ideia para por em prática com cautela e simplesmente coloca-la.

Hoje em dia, quando eu tenho uma nova ideia (e isso acontece a toda hora) eu fico muito animada. Eu pego o meu Diário de Ideias, pego lápis (eu amo lápis), e detalhadamente faço tudo criar vida ali. Eu paro o que eu estou fazendo, eu passo o tempo que for preciso escrevendo e só depois eu retorno à atividade.

Na prática “perder” 20 minutos colocando minha ideia no papel evita que eu perca definitivamente o entusiasmo e até mesmo o time do que eu estava fazendo.

Se fez sentido para você, te convido a criar/comprar o seu próprio Diário de Ideia e coloca-lo em prática o quanto antes.

Ah, e vamos combinar uma coisa? Curiosa como eu sou, eu já estou louca para ver a capa do seu Diário de Ideias. Posta no nosso grupo de Multipotenciais Pelo Mundo. Além de conhecer o seu baú do tesouro, vai ser legal interagir com você por lá também.

Beijos, Carol

Veja também: Minha Vida No Vale do Silício

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *