Que tal praia na quinta?

Como quase todo mundo eu também sonhava em mudar de carro todo ano. Sonhava em compra um apartamento vista mar. Meu celular era sempre o mais atualizado, e se eu pudesse, sairia comprando tudo o que o dinheiro pudesse comprar, mesmo que eu não precisasse. Ah…sei lá, eu trabalhava tanto. Eu merecia ser feliz.

Outro dia, durante a semana, acho que era um dia de quinta-feira, eu estava indo para uma reunião e passei de carro pela praia. Estava simplesmente LOTAAAAADA. Isso mesmo. Muito lotada. Era inacreditável. Tinham pessoas de todas as idades. Era quinta-feira e todas aquelas pessoas estavam na praia. Comecei a me perguntar se aquelas pessoas não trabalhavam, se aquelas pessoas não tinham contas a pagar.

Aquelas perguntas ficaram nos meus pensamentos o resto do caminho. Porque eu trabalhava tanto e não estava na praia?

Cheguei à reunião com 2 minutos de atraso depois de ter demorado quase 10 minutos tentando estacionar meu carro novo num lugar que fosse seguro.

Tudo o que eu queria naquele momento era estar na praia.

Eu achei que porque eu trabalhava tanto eu merecia ter o carro do ano. Eu acreditei que porque eu fazia tantas horas extras eu merecia ter o celular de última geração. Às vezes eu trabalhava aos finais de semana, em casa. Porque não trabalhar num apartamento com vista pra o mar? Eu merecia!

O que eu fiz foi ficar presa a uma felicidade que talvez não representasse tanto a minha felicidade assim.

Eu não tinha o carro do ano porque eu trabalhava tanto, eu estava presa ao trabalho porque havia comprado o carro do ano. Eu precisava daquele trabalho para pagá-lo. Eu fazia horas extras muito provavelmente porque eu tinha comprado o melhor celular de todos, e bom, aquelas horas extras eram necessárias pra que eu mante-se meu emprego e pudesse pagar as contas daquele celular.

E se eu trocasse tudo?

Se eu tivesse um carrinho popular?
Se eu usasse o carro dos meus pais?
Se eu andasse de bicicleta?
Se eu não precisasse nem de bicicleta porque minha casinha simples fosse em frente a praia?

Eu estaria na praia quinta feira!

Qual o preço da simplicidade?

Veja também Desabroche

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *